Conviver demais com uma pessoa pode levar à morte. Eu,como muitos outros maridos, tenho o hábito de chamar a esposa de AMOR.  

Bem, tratamento carinhoso e aceitável, não é mesmo?Errado. 

De férias, bastante tempo ao lado da família, vai o bobo aqui arrumar a bicicleta da filha. 

O mecânico muito educado, negão forte, tipo 4x4. Ao acabar o serviço, pergunto de forma inocente:

— Quanto foi, AMOR?

Tentei consertar rapidamente, dizendo em seguida, AMIGO; a meleca já estava feita. 

Os outros funcionários repetiram a expressão em tom sarcástico.Peguei a bicicleta e casquei no cerrado. 

Minha esposa está rindo sozinha até hoje. E eu também.

Imagem disponível em: www.euvoudebike.com
Oi, Silvana! Espero encontrá-la bem. Depois de indicar duas obras que você ilustrou, lá da editora IMEPH, a menina do Baú Vermelho fez um comentário. Um comentário que vai deixar a madrinha de cabelo em pé:

— Pai, acho que o Cabelinho Vermelho tá com ciúme.

Para quem não sabe, a série Baú Vermelho estreou com a indicação da obra Cabelinho Vermelho e o Lobo Bobo.  Uma outra curiosidade: a Cecília tem tanto carinho com esse livro que não deixar emprestá-lo para nenhuma outra criança. E o medo do título não voltar (risos) 

Aqui, Silvana, agorinha mesmo você vai ficar por dentro dessa treta literária.  

— DO LOBO! DO LOBO! DO LOBO!

Clarice, a irmã mais nova da Cecília, está cheias de amor por um dos seus lobos. Essa é a verdade, minha querida. Se for preciso, Clarice até dança e canta com os Três Porquinhos para ficar pertinho do Lobo.
Na casa da Vovó, assim que abriu o livro pela primeira vez disse: “lobinho engraçado”. Depois na viagem de trem, ninguém sem entender a algazarra de uma menininha vibrando com a aventura de um Lobo Barrigudo. Outro dia ela estava na banheira, tomando banho e gritou:

— Papai, quero o Lobo Baligudo. Conta, conta....

Era isso, Silvana. Acho que agora você entendeu a causa do ciúme. Encurtando um pouco a história, Cabelinho Vermelho e o Lobo Bobo prepararam o caminho para os Três Porquinhos e o Lobo Barrigudo.  

Tava demorando ela pedir pra mandar uma dica inusitada no blog. Os colchões espalhados na sala. A menina do Baú Vermelho e a irmã, as descabeladas, brincavam de tudo quanto era riso no fim da tarde.

— Cês vão jogar tudo no chão. Ah, quando mamãe chegar vai dá BO pra todo mundo.

— Vai nada. Tamu é tudo louca!

— Deu pra ver. Ai, ai...

Assim do nada, a mais velha deu o grito:

— Ah, pai, pensa que esqueci, né?

— Do que cê tá falando?

— A gente tá que nem a dona do livro que cê falou que ia indicar no blog...
Ah, não prometa nada para sua filha de nove anos. Ela vai cobrar, mais cedo, mais tarde. Ela leu o livro no mês passado, antes do Natal, falou que era pra indicar e tal. Só que esqueci.

Quando a gente leu, na tranquilidade da casa da vovó, ela comentou:

— Nossa, pai, essa Dona Maluca chega a dar medo.      

— ?

— Sei lá. Maluca não. Ela é muito é corajosa de viver numa casa enorme sozinha.
  
“Era uma casa pouco engraçada, tinha teto e muita papelada”. Oh, eu lembrando de outra casa aqui.  Voltando à conversa:

Cê num vai ficar dando pistas, né? Daqui a pouco vai contar o que tinha nos quartos da Dona e o que acontece no final.

— Ok! Parei de contar. Quem quiser saber que leia a obra....

— Disso todo mundo sabe, pai. Acaba aí logo e vem brincar com a gente.

– Fui

  
 Título: A casa da Dona Maluca
Autora: Sandra Branco
Ilustradora: Silvana de Menezes
Editora: IMEPH


Se tem um lance que muito nos orgulha dentro das ações do projeto “Livros em todo lugar”, é entrar em contato com o trabalho de autores e ilustradores de todos os cantos do país.Quando o assunto é literatura infantojuvenil, então, essa descoberta vem com um sabor especial.
No dia da entrega do “Troféu Livros em todo lugar 2018”, Silvana de Menezes, a homenageada, presenteou-nos com alguns títulos de sua autoria (ilustração e texto, é que ela é uma multiartista) e outros que havia ilustrado.
Após conversar com a “A garota do Baú Vermelho” sobre o título que escolheríamos para abrir 2019, a sugestão foi “Livrorescer”, de Fernanda de Oliveira.

É a primeira vez que recebemos um título da IMEPH, editora do Ceará. A obra traz uma edição primorosa, com ilustrações belíssimas e projeto gráfico que atrai a atenção de crianças de várias idades (por que não dizer mamãe, papai e professores?).

Livrorescer aborda de forma poética o nascimento de um leitor: o primeiro contato com o título na estante, a leitura de pedacinho em pedacinho, curiosidade e carinho. O caminho de flores de quem adora a biblioteca ou espaço de leitura... num universo de aventura... livrorescendo...

Livrorescer narra as surpresas da infância. Descreve o olhar azul para o verde caminhando para o amarelo, rumo ao amadurecer dos tempos, dos ventos descobertos nas asas da imaginação.  
Autora: Fernanda de Oliveira
Ilustradora: Silvana de Menezes
Editora: IMEPH


É um dia tenso para o jovem Leonard Peacock, pois, além de ser o seu décimo oitavo aniversário, ele tem uma missão especial: matar seu ex-melhor amigo, Asher Beal, e logo após isso, se matar com a arma de seu avô.

Entretanto, antes de cumprir essa perigosa e fatal missão, o adolescente tem a vontade de se despedir das quatro pessoas mais importantes de sua vida, dando um presente a cada um deles: Walt, o vizinho apaixonado por filmes; Baback, seu amigo de escola; Lauren, sua crush e Herr Silverman, o professor de história que está ensinando para a turma de Leonard sobre o holocausto.

A partir de cada encontro, conhecemos um pouco mais sobre Leonard, e é notável para o leitor os motivos para seu sofrimento e as razões pelas quais ele não quer mais viver.

O livro tinha de tudo para ser uma narrativa tensa, e que nos deixasse aflito, mas o enredo que envolve o protagonista faz com que tenhamos compaixão e empatia; começamos a nos afeiçoar ao garoto, lembrando muito a narrativa do conhecido “Os 13 porquês”.
 
“Perdão, Leonard Peacock” foi escrito por Matthew Quick, mesmo autor do livro ‘O lado bom da vida’ e serve de aprendizado para esse ano que se inicia, o livro nos faz refletir em como cada pessoa tem um papel importante em nossa vida e em como temos que cuidar de quem é presente.

Desejo a todos uma boa leitura e um bom início de ano!
Abraços da Emanuelle!



“Tá difícil a coisa aqui na quebrada. A gente tá ficando cercado. Cê leva o filho pra cortar cabelo ... tem livro de graça já na porta te esperando. Vai resolver umas pendências na Regional ... encontra um monte de livros. Agorinha mesmo fui comprar café moído na hora e o que encontrei lá? Livros. Desse jeito cês vão tomar tudo quanto é bairro, gente. Brincadeira, Farelo! Nós temos é que agradecer o que cê e sua esposa tão fazendo pelos nossos filhos”

Espontâneo. Receber um depoimento desses, cheio de gratidão, depois de uns cinco anos de atuação, meu irmão: que presentão!




Paulo Fernandes, Max, Farelo e Vinícius  
Salve! Salve! Venha conosco! Você conhecerá nas próximas linhas o novo capítulo do projeto Livros em todo lugar.

Na tarde de quarta-feira, dia 19 de dezembro de 2018, inauguramos o novo ponto do projeto. Estamos muito contentes com essa conquista. Trata-se do primeiro lugar fora da quebrada, lá onde o projeto nasceu.   

O novo ponto é a Barbearia Orion, que fica na Rua Padre Eustáquio, 2008, bairro Padre Eustáquio, em Belo Horizonte.

A partir dessa data, os clientes do Max podem pegar um livro na estante, podem ler essas obras na própria barbearia, eles podem e devem levar os títulos para casa. E, se quiserem,  podem trocar obras. A proposta do projeto Livros em todo lugar é fazer o livro circular.  
Dupla de tesouras desajeitadas (risos) e o grande Max

QUAIS LIVROS CIRCULAM NO PROJETO?

O foco do projeto é o incentivo à leitura de obras do universo da literatura: infantojuvenil,  romance, fantasia, suspense, novela, poema, crônica e conto.  

Por questões de espaço e logística, não colocamos nos pontos livros didáticos, técnicos, teóricos e apostilas. (Ao final deste post, conheça os outros lugares do projeto)   

O curador do projeto e o proprietário da barbearia


É com orgulho e gratidão que informamos que o artista Paulo Fernandes, do canal Ler é criar asas, será o curador do projeto nesse novo lugar. Paulo Fernandes e Max vão oferecer aos clientes da Barbearia Orion: livros diversificados, em ótimo estado, livros para todas as idades.

CURIOSIDADES

Não passou nem uma semana e já temos depoimentos emocionantes. No mesmo dia da inauguração, isto é, algumas poucas horas depois...... um cliente muito satisfeito.... confessou:

– Hoje, Max, o corte saiu de graça! Só o valor que seria para comprar o livro...

Esse cliente radiante de alegria estava se referindo ao filho que levou para casa o exemplar de um dos títulos da série “Diário de um Banana”.

Segundo o Max, " alguns clientes não estão acreditando que podem levar os livros".

Alegria da criança que encontrou seu título favorito! Alegria do proprietário da Barbearia Orion! Gratidão ao parceiro Paulo Fernandes! Enorme satisfação de toda equipe do projeto  “Livros em todo lugar”

        PONTOS DO PROJETO:

     Salão do Zezim – Bairro Nacional – Contagem
     Café Moído na Hora – Bairro Pedra Azul – Contagem
     Barberia Orion  - Bairro Padre Eustáquio – Belo Horizonte


Alfredo Lima, Silvana de Menezes e Paulo Fernandes 
A ENTREGA DO PRÊMIO

Desde a criação do projeto “Livros em todo lugar”, em 2013, a maior demanda foi de livros do universo infantojuvenil. Pensando na importância da literatura brasileira e, claro, nessa procura ao longo dos últimos cinco anos, decidimos homenagear uma obra por ano! Não se trata de um prêmio. Não é um concurso. É uma das formas que encontramos de agradecer aos escritores do Brasil.

Em nome de todos os colaboradores do Projeto, com enorme satisfação, informamos que a obra homenageada em 2018 pelo “Livros em todo lugar” é: MENINAS, BAH!   


A OBRA HOMENAGEADA

No livro “Meninas,Bah!”, Deco, o narrador, nos conta a história da chegada de sua irmãzinha que causa grande decepção, pois afinal, na visão dele, meninas não sobem em árvores destemidamente, não brincam de lutar espadas e, muito menos, fazem concurso de distância de xixi em pé. 

As dificuldades em lidar com a irmã como amiga e companheira são muitas, mas com passar do tempo, Deco percebe que pouco importa a diferença embaixo da fralda. Ele e a irmã não são diferente só pelo sexo. o que os diferencia mesmo são as ideias, pois o mundo, na verdade, se divide entre os que amam e os que não amam. O livro nos possibilita uma boa conversa com as crianças em relação ao respeito, as diferenças, amor e amizade.

"A menina do Bau Vermelho" com a autora do "Cabelinho Vermelho"

CONHECENDO A AUTORA

Silvana de Menezes é artista plástica, escritora, cineasta e cenógrafa e conta com vários títulos publicados para crianças e adolescentes.


"SÓ FORÇAS!" 

Essa é a expressão que um artista e sua equipe, aqui mesmo da nossa quebrada, empregam para demonstrar apoio, carinho e afeto aos desafios que enfrentam pelo caminho. Um salve para todos que colaram nessa iniciativa do “Livros em todo lugar”, em especial, o parceiro Paulo Fernandes.  Gratidão ao pessoal da Na Tora Design que fizeram esse troféu maravilhoso e que tanto encantou a artista Silvana de Menezes.   

+