manhã produtiva de domingo


Preparo o café da manhã, depois leio um pouco. Nessas primeiras horas do dia, gosto de ler narrativas curtas. As crônicas e contos me ajudam a perceber que é um novo dia.

Hoje, por exemplo, li duas crônicas do novo livro da Silvana de Menezes, que se chama "Comédia e tragédias da vida privada de uma criança" (Ed. Compor) e reli também um conto do livro "A casa do fim", do português José Riço Diretinho.

Antes da 08h da manhã, vou correr na principal avenida. Depois de duas semanas longe das atividades físicas, em função do Festival de Cenas Curtas corri com orgulho 5km. Começo a me preparar para os primeiros 10km. No mês seguinte haverá uma prova.

Nem bem descansei da atividade física, é hora de fazer a feira, isto é, comprar frutas, verduras, legumes da semana.

Ainda não acabou. Guardadas as compras, hora de preparar um kit de tesouros para doar a uma família do nosso bairro. Trata-se de uma das ações do "Livros em todo lugar".

Para fechar a manhã do domingo, vou corrigir provas e redigir o texto de 4ª capa de um livro que será lançado em breve (não posso dizer de quem ainda)

Isso só foi um pouco da minha manhã de domingo, entre leitor, pai, escritor e produtor cultural.

Detalhe: estou em busca de um milhão de cafezinhos (risos)

... farelos por aí ... 

Foto do escritor José Riço Direitinho, por quem estou apaixonado.
Crédito da imagem: 

0 Kommentare:

Postar um comentário

+