elo lírico

A releitura de uma determinada obra é sempre mais esclarecedora do que o primeiro contato. E a riqueza de um texto literário está justamente nas infinitas possibilidades de interpretação que oferece aos leitores.

É essa fonte inesgotável que transforma uma obra em um clássico.   

Pensando nesses aspectos, andei esfarelando as migalhas de Clarice Lispector: crônicas para jovens, de amor e amizade. O que vai ler, a seguir, é um delírio noturno na janela do cotidiano. Como sonho, proponho uma espécie de elo lírico clariciano.

Há um vazio em todos nós. A solidão é o que une a humanidade. No universo somos apenas uma unidade: verso único, íntimo, prosa leve no grafite breve que risca a realidade.


A solidão está em todos nós. E é só com o outro que podemos enfrentá-la. Para isso, foi preciso muita gente: toda Humanidade. Precisamos do outro para compreender o mundo. Precisamos amar o outro e, assim, transcenderemos o Universo.    

... farelos por aí ...

Fotografia: Lee Jeffries

+