Discutindo a relação ou um barraco mesmo



Para Gabriel Campos

Quer dizer que meu perfil não lhe agrada? Agora é assim, então? Você não tem vergonha nessa sua cara lavada não, criatura?

Na hora de ficar me enviando correntes, campanhas do arco da velha, você vem todo sedutor pra cima de mim. Não é mesmo? Até esfregar na minha cara a data de aniversário dos amigos e inimigos, você esfrega.

Ah, de uns tempos pra cá veio pagar de senhor que se importa com meu passado. Vira e mexe, anda exibindo algumas lembranças em minha linha do tempo. Não é mesmo? Até parece, seu cérebro de vento, que as pessoas se importam com o passado. Passou. Pronto. Acabou. Morreu.

É do presente que estou falando. Se você ainda não entendeu, estou muito chateada. Basta a gente se conectar e você vem querendo saber o que estou pensando. O que adianta querer saber dessas coisas?

Você já fez poucas e boas comigo, em outras ocasiões. Recordo-me que chegou a bloquear minhas fotos, só porque as belezocas não estavam dentro do seu padrão. Dá licença, meu? Quem é você para falar de padrão, lançando umas memórias bem cafonas aos finais de ano. Um troço todo colorido, brega com todas as letras.

Ah, quer saber? Estou pensando seriamente em te mandar pro quinto dos infernos, compreende? Já encontrei similares e melhores do que você. Lugares onde sou reconhecida rapidamente. Pum! Pá! A resposta é imediata. Com você, não. O lance é cheio de mi-mi. Estou cansada dessa vida de ficar gastando tempo com quem não me valoriza, viu?

Você perdeu a noção do respeito, depois de publicar meu relatório médico e ainda por cima levou em conta a análise do meu perfil. Como assim? Como ter a coragem de dizer que vou parar de transar quando tiver 97 anos?

Pode me chamar de barraqueira. Sou. Pode parar também de ficar criando esses joguinhos imbecis. Sabe por que estou assim, nesse estado? Ah, você não imagina, não é? Então, tá, eu vou dizer... 

Sabe aquela sua última modinha do “Qual seria sua aparência se você fosse do gênero oposto?” Pois é, você me excluiu de todas. Não conseguiu achar meu gênero oposto. Isso é por que sou feia? Escuta aqui. Você está muito abusado. Sou diva. Você é que não tem critério para avaliar essa belezura que está do outro lado da tela. Estou te largando, seu trouxa. Vou fechar com o I, desabafar no T e viver no S.

Ufa! Soltei tudo que estava entalado aqui.

Tchau!

Crédito da imagem: <http://escrevalolaescreva.blogspot.com.br/2013/05/guest-post-eu-agressora.html>

+