O trompetista na tempestade (R)

Acostumado a trabalhar com adolescentes e jovens, só agora venho aprendendo a ler para crianças. Ressalto, porém que tem sido de um modo a inesquecer... pela vida. O maior barato de tudo isso é que a professora é minha filha mais velha. Ela acabou de completar seis anos. (agora ela está com oito). 
         – É assim, pai. Primeiro, você lê em voz alta; depois me mostra as páginas, entendeu? – ensina-me.  
         Uma leitura lenta, compartilhada em todos os sentidos. Eu pensei.
         Para que você compreenda um pouco dessas últimas aventuras, faço questão de indicar um título que lemos (repetidas vezes). Hora de compartilhar!
     
Observamos a capa, lemos o título, mas não expliquei o significado da palavra “trompetista”, queria que ela adivinhasse ou, quem sabe, descobrisse ao longo da história.
         Para minha surpresa, ao abrir a obra, ali antes mesmo da folha de rosto, Cecília se encantou com os desenhos que caíam do céu, sobre a dedicatória, juntamente com a “chuva no final da tarde”.
         E o pacto da leitura se confirmou com a segunda cena da narrativa, que traz mãe e filho diante de um piano.  À diretita, uma janela aberta para onde os personagens olham com surpresa. Ou seria espanto?  Nesse momento, quis saber a opinião de minha companheira.
         – E o que é isso que entra pela janela? Será um lenço cheio de desenhos?     
         – Não, pai. Isso são notas musicais! O senhor não sabe?
         De fato eu não sabia que ela sabia. Conhecia as notas musicais. E começou assim o nosso encantamento com o livro de Alexandre Azevedo, ilustrado por Lelis.        
Entusiasmado com a prosa poética que ia, aos poucos, tecendo diante dos nossos olhos, percebi que, ao final de cada cena, ela repetia o título... “o trompetista na tempestade”. Era como um sopro, sugerido pelo instrumento.          Desse momento em diante, lia a primeira parte. Depois, fazia uma pausa (uma deixa) e ela dizia o título da obra. Assim, ao som do trompete, entramos no ritmo da obra, percorrendo as ruas, as construções e a cidade.  
         Nestas férias escolares, recomendo-lhe esse tipo de aventura: ler para uma criança, viajar na literatura com uma criança.      

Serviço:
Título: O trompetista na tempestade
Autor: Alexandre Azevedo
Ilustrador: Lelis
Editora: Abacatte


         
+