2018: arte em suspiro e sopro

Marian Anderson. Richard Avedon. The Metropolitan Museum of Art.
Olá! Salve! Salve! Muito obrigado por ultrapassar por clicar neste post e percorrer as linhas informativas do meu blog. Bem, nem sei se este espaço pode ser todo chamado de MEU. É sobre isso que gostaria de falar na primeira postagem de 2018.
Para quem está chegando agora, faço questão de descrever de modo breve o que se publica regularmente neste espaço. Bora lá?
Em um painel geral, este blog é sobre livros, literatura, arte da palavra. Trata-se de um espaço voltado para a publicação de resenhas, dicas, comentários críticos, contos, poemas e crônicas. Conheça agora as tags, isto é, as páginas deste site.

Em parceria com minha filha Cecília, agora com anos, indicamos livros para crianças na tag Baú Vermelho. Indicamos, “entre aspas”, pois que sugere a obra é a garotinha. Se ela não aprovar, ou seja, não curtir o título, não indica mesmo. Eu apenas registro as impressões dela e compartilho. 

Os livros juvenis são indicados pela jovem Emanuelle Silva. Todo primeiro domingo do mês os jovens que seguem o blog contam com as resenhas, na tag #Marcador
Pelo menos uma vez por ano, em decorrência das múltiplas tarefas (escritor, professor, produtor cultural), tem rolado aqui uma temporada de crônicas, claro, sobre o cotidiano escolar e impressões delirantes deste que vos escreve.

Decidi também a partir deste ano, voltar com a tag do nosso projeto de incentivo à leitura: Livros em todo lugar. Vou cuidar desta parte, indicando livros para jovens e adultos, sobretudo os títulos doados e abordados em sala de aula.

Com muita coisa rolando e a gente fazendo barulho por aí, evitando também que as informações e curiosidades não se percam nas redes sociais, criamos para este ano a tag Notícias. Nesse espaço, você ficará por dentro das doações, leitura compartilhada, participações em eventos culturais, entre outras atividades que curtimos e compartilhamos.
O QUE VEM POR AÍ: 
Para começarmos em alto astral, amanhã vai rolar duas postagens no blog. Pela manhã, vai ao ar a resenha que a gente considera a gênese do "Baú Vermelho", é um texto para relembrar, mas tá valendo. À tarde, vou indicar um romance super bacana. E, no domingo, vocês já sabem: dica da Emanuelle Silva. 
Feliz 2018!!! 
Um forte abraço,
Alfredo Lima 

Nota rosa - você deve estar se perguntando: o que essas imagens têm a ver com o post? Nada não. Simplesmente quis compartilhar o trabalho de um dos maiores fotógrafos do mundo. Richard Avedon.  
+