Rua da Bahia: farelo

A última lágrima da chuva trouxe a carência da luva: afago, afeto, a fogo, ela esquentou minhas cores para arrancar um sorriso da criança que vendia flores.

Vermelho, branco, o banco de espelho é o seu jardim em mim, Rua do Sim.


Rua do Não, do início da Amazonas, de frente para a Estação, meu irmão... quando a Bahia beija os Caetés na fé, na liberdade. Bem ali... fui flagrado arrastando asas para a cidade

Fotografia de Bruno Oliveira


+