Entre ventos e anjos


 Por Maria Estela Soares
Eu sempre acreditei em anjos. Não os que vemos nas telas da TV, de asas brancas e lindos...

Anjos, creio que são aquelas pessoas enviadas por Deus para nos orientar, nos socorrer naqueles momentos críticos em que corremos perigo real.

Outro dia meu marido conheceu um senhor. Eles nunca tinham se visto antes e o senhor começou a falar de sua vida, assim como fazemos com velhos conhecidos.

Ele disse que estava passando por uma dessas ruas ali por perto, uma dessas ruas ermas. De repente começou a sentir muita dor, a dor era tão grande que sujou a calça toda e ele achou que iria morrer naquele lugar.

Então apareceu um carro com um rapaz muito jovem. Ele parou, olhou para o senhor e disse que iria levá-lo ao hospital

– O senhor está passando muito mal – disse o jovem.

O senhor que estava todo sujo, disse ao jovem que iria sujar seu carro todo.

– Não tem problema, carro a gente lava – comentou o jovem
Ele pegou o senhor no colo, colocou-o no carro e foi ao hospital.
Chegando lá perguntaram a ele seu parentesco com o senhor.

– Eu só o socorri - explicou o jovem.

Este rapaz pegou a carteira do senhor, procurou por algum telefone ou endereço. Encontrou o telefone da casa dele e ligou pra lá. Disse a esposa do senhor onde ele estava, que já estava medicado e pediu que ela fosse para lá.

Quando a esposa chegou, o rapaz já havia ido embora.

O senhor permaneceu internado três meses e durante todos estes meses, esse jovem ligava para o hospital e procurava saber como estava o senhor. Quando a pessoa que atendia o telefone perguntava quem era, ele simplesmente falava que era quem o havia socorrido.

Após três meses, o senhor saiu do hospital e nunca soube quem foi o rapaz que o salvou.


Mas todas as noites depois que ele voltou para casa, este senhor reza e agrade a Deus por ter enviado aquele anjo para socorrê-lo.

< Imagem disponível em: https://sites.google.com/site/tudobarroco/_/rsrc/1251975930337/home/anjosbarrocos0931.jpg>
+