Só para curiosos


Papel em branco 

Letra: Alfredo Lima

Música: Ronaldo Gregório 

Eu não endereço seus planos
Eu não interesso pelos seus panos
Suas cores já saíram do ramo
E o papel em branco sobre a mesa
Já aprendeu a receber minhas tristezas
Eu não perco mais na sua trilha
Minha pilha já não dá para outras quatro milhas

Minha alma já encontrou valor
Em outras guerrilhas
E a nossa simples briga
Só abriga
Pequenos sentimentos,
Perdidos sem respostas ao vento

De cara à coroa, de toca vou à boa
De mendigo à esmola, sua voz já não consola.

Suas armas te traíram,  foram frágeis.
Libertaram-me dessa gaiola
Eu não quero respirar esse seu ar
Vou sair daqui do centro
Vou  respirar outros ares lá fora
Agora, abre a porta
Que eu tô caindo fora

PS: pode não lhe parecer, mas esses versos vagabundos são de uma letra de música que escrevi há uns quase vinte anos.

A pintura que ilustra  a postagem tem o título de "Canção de Wayland", e é do artista Anselm Kiefer

+