Aquele boy cheiroso ou o RD

Depois da história da Liz – namoradeira da nossa quebrada recebi informações preciosas do universo juvenil.
O sinal já havia encerrado o penúltimo horário da manhã, quando uma aluna me interrogou, assim meio que do nada
– Alfredo, você sabe o que significa dizer que o “boy é cheiroso”? 
– Sim. Todo mundo sabe. Reconhecemos com facilidade, inclusive, quando o sujeito não é cheiroso.
– Não é nada disso, fessô – cortou-me com a delicadeza que só as mulheres possuem. No fundo, deve ter pensado: (“Esse não sabe de nada, inocente”)
– E o que é então? Vai ver do que se trata...
– Quando a gente diz que o garoto é cheiroso, fessô, é porque o cara é bonito, “pegável”.
– Do tipo que tem pegada, não é?
– Isso mesmo. Bonito, gato, “gostoso”.
– Parou. Parou. Pode parar por aí. Vamos para a próxima aula? – interrompi a aluna, agradecendo-lhe pela informação.
Fiquei com aquela ideia o resto do dia. Depois registrei num papel e à noite fui pesquisar mais a respeito do assunto. E o local mais apropriado? Bastidores das aulas de teatro no quintal da nossa casa. Ali na quebrada onde moramos mesmo.
Fui trocar umas ideias com as alunas da minha esposa.
– Ana, uma aluna me falou de um lance aí, disse que chamar o boy de cheiroso é o mesmo que falar que ele é bonito. Tá rolando isso mesmo ou a menina lá tá de viagem?
– Num é viagem não, Farelo! A garota que te falou isso tá por dentro. Nas festas, então? Nem te conto. Quando chega um novato, a primeira coisa é saber se ele é cheiroso.
– Valeu. Era só isso mesmo. Que coisa estranha. Você não acha?
– Normal. Pra mim tá de boa.               
“Tá de boa”. Essas meninas...
Joana, a outra aluna que prestava atenção na prosa, soltou uma pergunta:
– E aí, Farelo, CE sabe o que é RD?
– Não tenho a menor ideia.
– Tá a fim de saber?
– Claro! É sempre bom aprender com vocês.
– RD significa Rei Delas.
– Meu Deus! Como assim?
– É aquele garoto mais popular da escola, do tipo que toda menina quer pegar. Entende?
– Entendo. Conheço um montão por aí.
– Nem sempre é o sujeito “mais cheiroso” que a Ana te contou. É o boy descolado, “famosim”. Tá em todas festa discorreu Joana com propriedade.
Ana não saiu de perto da gente e ampliou a discussão:
– Cê sabia, Farelo, que tem garota que pega o RD só pra adquirir status?
– Não. Explique melhor.
– A menina vai lá pega o cara só porque ele é “famosim”.Tira umas fotos e posta em tudo quanto é rede social. Aí, claro, vai ter altos likes.
– Então é um lance de interesse, de tirar vantagens?
– Na real? – cortou-me dessa vez a Joana.
– Lance de “falsiane”, entendeu? Garota que faz isso é tudo...
– Parou. Parou. Gente, nada de palavrão aqui – disse-lhes aumentando o tom de voz.
Tive que encerrar o assunto, a aula de teatro tinha chegado ao fim. Na correria daquela noite fiquei me perguntando: 
Por que nem todo garoto cheiroso é um RD? 
Vale mais ser um RD ou um “boy cheiroso”?
Será que os marmiteiros são do tipo que cheiram mal? E é isso que impede a consumação do ato?

E aí, leitor(a), no seu colégio, na faculdade, no trabalho tem mais boys do tipo cheiroso ou RD?  


Imagem disponível em: http://montedeinutilidades.blogspot.com.br/2015/01/um-homem-cheiroso.html

+