Rapidinhas do Salão do Zezim

Os últimos acontecimentos narrados no Salão do Zezim têm deixado duas famílias em situação de calamidade pública, “digna de protesto em plena Praça Sete”. É o que promete o brother Carlin, ex-cabeludo e pintor de parede, ele é amigo do Geromin que contou tudo pra mim. 

                                                                                 ***
Farelo, o patrão num paga mesmo, nem pro decreto. Já ameaçamos chamar os homens, mas a polícia não resolve nada mesmo. Que tal, o Super, o Balanço Geral e o escambau? “Vamos levar todo mundo pro pau.” Onde já se viu trabalhar três meses e só vai sair no mês tal? Que nada e que vá todo mundo tomar no...? Ah, o respeito com o moço do jornal, meu filho”

***

Agora, tá difícil até mobilizar os companheiros. Tá assim, o patrão finge que paga, a gente finge que trabalha. Se o Carlin trabalhasse o tanto que reclama, vixe, o serviço já tava pronto.

***
Conversando com o Eduardo,  secretário eletrônico da Oi.....opção
Eduardo: Escolha uma opção!
Atendente: Ocês tão me roubando!

Eduardo: Escolhe outra opção, senhor. 
+