O rio de Libério Neves

Nunca tinha ouvido falar. Desconhecia por completo sua existência. Até que no último inverno, em conversa com o artista Walter Lara, tive conhecimento do livro “Águas”. Para o registro dos preciosos encontros narrados aqui no blog, tive a honra de receber um exemplar das mãos do próprio escritor.
– Senhor Libério, quero escrever uma nota sobre essa obra. O que acha da ideia? 
– Fique à vontade, Alfredo!    
Só agora surgiu a oportunidade de tecer um breve comentário a respeito desse título. Querido leitor, ilustre leitora, hora de embarcar nessas “águas”! 
Em “Águas”, Libério Neves nos conta a história, em versos, de um rio.
   “Um olho-d’água
      cresce um filete
      em rego transparente
      onde alegrinha nada
      uma piabinha.” (p.7)
Já na sua nascente, o leitor capta o presente que o poeta nos oferece, de modo poético, bem próximo de uma prece. No primeiro deslize das águas na relva, na harmonia das formigas indo, na sintonia dos passos desse pequeno rio vindo, vindo...
E, assim, no seu curso-rio, percurso de vidas, mais presentes para leitor: os desenhos de Walter Lara, que esmera da simples piabinha, em seu riachinho, ao tubarão-veloz no azul oceano. O encontro dos versos com as cores vão transformar sua leitura em uma prazerosa viagem. 

 Serviço:
Título: Águas
Autor: Libério Neves
Ilustrador: Walter Lara
Editora: Alis
+