Fatias de um tomate

Em setembro,  terei a honra de trabalhar pela segunda vez com a obra “Vermelho Amargo”, de Bartolomeu Campos de Queirós. A primeira foi no ano de 2012, num Colóquio para os vestibulandos do CEFET-MG. 

De lá pra cá, muita coisa mudou na minha relação com escritor que nasceu em Pará de Minas e passou a infância na cidade de Papagaios. O que mudou?

A verdade é que passei a respeitá-lo e admirá-lo ainda mais. Conheci outros livros:



Agora nesses últimos dias do agosto que vai, estou montando as aulas (que muito vão se aproximar das oficinas) para mergulhar no enredo do “Vermelho Amargo”. A intenção é compartilhar com você alguns momentos desse trabalho.


Caso você já tenha lido ou trabalhado com essa novela, fique à vontade para sugerir/comentar/criticar. Assim poderemos divulgar ainda mais o trabalho desse grande mestre da literatura brasileira.  
+