A poesia aquece o silêncio

Poeta Matilde Campilho

Eu nunca ouvi falar de Matilde Campilho, a poeta  portuguesa que sacudiu o 2.º dia da FLIP 2015. Calma aí, leitor, eu também nunca participei da FLIP (embora não falte vontade).

Ao abrir o jornal no início dessa tarde, deparei-me com uma matéria, que discorreu sobre esse radiante evento,  publicada na Folha de S. Paulo.  Curiosamente, o texto estava no Cotidiano, enquanto eu esperava encontrá-lo na Ilustrada, vai saber... Sem mais delongas, corri para o computador, simplesmente para compartilhar duas frases da artista. Dois pequenos textos com os quais concordo, plenamente:

“A poesia não salva o mundo, mas salva um minuto.”

“A gente está aqui para dançar um pouco sobre os escombros”.


Bem, eu curti os aforismos. E você o que acha da poesia? Será que temos ideia de qual ritmo estamos dançando? 
+