Prezado Mas

Pintura de Jean Michel Basquiat
Contagem, 17 de novembro de 2014

Prezado mas, você tinha que ver como eu saí da Bienal do Livro ontem. Desconfiado. Olhava para um lado e para o outro. Um segurança muito estranho olhava as minhas atitudes, após comprar o primeiro título daquele de quem vou ler a obra completa.

Estava bem lá na prateleira de baixo. Com difícil acesso. Era o último. Veio com desconto significativo. O suficiente para tomar um café. 

Guardei-o numa sacola com outros objetos da minha filha, evitando assim receber a pergunta de curiosos: "o que você comprou?" "Nossa, você gosta desse autor?" Guardei-o com carinho e bem de mansinho, carregava-a para todos os lados, não vendo o momento de chegar a minha casa e reler pelo menos a biografia do autor.

Depois de algumas tarefas rotineiras da vida de professor, não resisti e parti pra cima da obra, porém era tarde. A minha esposa muito gripada, a atenção para nossa pequena. Só um cheiro nas páginas.

Com o pouco que li sonhei bastante, aliás, tive uma espécie de pesadelo artístico com algumas cenas da vida do escritor.(Por falar em Expressionismo, a pintura do Basquiat não tem muito a ver com o teor desta mensagem. Coloquei mesmo só pra chamar atenção.Hora de fechar os parênteses)  

Mas estas poucas linhas são para lhe contar que no sonho o escritor me contou que os narradores dos meus curtos contos não sabem de nada, viu? Eles são tão todos inscientes...Fiquei emocionado. E que por isso mesmo eu corro o sério risco de ficar com poucos leitores.Pois ele só conseguiu reconhecimento depois de morto e, que diante disso, tinha experiência para me preparar. Graças ao Criador, tenho você, mas, se não estaria lascado.  

Dê um abraço na D.
Um forte abraço do seu amigo
D.Farelo
+