Putz!



            — Meu Deus! Como eu sou fraco, fresco e chato!
Pensar alto, diante do espelho, é não ter tempo de encarar a verdade.
— Putz! Como ficamos horríveis quando estamos gripados!
O nariz vermelho. Aquela sinfonia de fungos....no cinema, então?
— Decreto nacional: que nenhum chato (porque toda pessoa gripada fica chata, fresca e fraca) sai de casa.
— O senhor pode mandar todos os remédios que tem aí pra gripe, coriza, resfriado. Tem pra chatice?
— Não, meu senhor. Dinheiro ou cartão?
— Não é a mesma coisa? Tudo não vai gerar um rombo no orçamento? Não tô gastando o meu dinheiro com essas porcarias?
— Meu senhor?
— Droga de remédio, nariz escorrendo.
— Meu senhor?
— Aqui...eu já....
— Tum, tum, tum, tum....

Até a paciência do atendente da farmácia a gente consegue encher em dias de gripe.
+