Farelice não quer água

Dificuldade para me concentrar, eis o centro das adversidades. Água? Não quero água. Um suco? Não quero suco. Não. Isso também não. Não quero nenhum líquido. Está tudo tão confuso e o senhor vem pedir atenção? Não posso oferecer foco.  Não deu para perceber a minha dificuldade em dizer sim?
Estou descontrolada, à beira do fim...chamas, migalhas...eu sou uma migalha que incomoda, atrapalha, pequena chatice dos seus dias. Cansei das firulas, das ligações ininterruptas. Eu não vou ficar ligando toda hora mais...cansei de ser presença. Cansei de ser imprudente, lembrada....Todas as lembranças lamberam os meus restos de silêncio,  de encontro. Quero me reencontrar.

Descobri que no fundo da sala há uma música que vai apagar minha súplica...

Bye,
Farelice

Imagem disponível em: <http://catarinavoltouaescrever.files.wordpress.com/2014/02/caf-e-livros.jpg>
+