Construindo teias

Para Paulo Fernandes e Zilda Pacheco
Viva! Salve! Ave! Viva a ave que canta a nave das letras!

Este é o meu canto de Robin Hood cultural, sem arca e flecha, eis a porta que nunca fecha para a transformação de nossas aldeias.

Não queremos mudar o Brasil, meu irmão; mas que mal há em construir a nossa própria teia?


A quebrada precisa de mais um prato no ato da ceia. Limpe a poeira, lave a areia e venha conosco espalhar migalhas de arte por aí...
+