Sem espinho, doutor.


Tenho muitas imagens para relatar ao psicanalista, mas como a grana está curta, não posso deitar mais no divã. Seja, por favor, leitor amigo, o meu analista só por hoje.

Entre os anos 2000 e 2003, sonhava constantemente com rosas amarelas. Em 2001, por exemplo, mais ou menos nessa época do ano, os sonhos eram constantes. Geralmente, elas apareciam no espaço urbano. Não....nada disso. Apareciam nos locais mais imprevisíveis na possibilidade daquelas minhas viagens. Não, gente, eu não usava drogas. Era um delírio de fim de tarde...ora despetalando os meus desejos, ora fazendo caminhos para meu pé descalço trilhar.  


Será que esse fascínio com rosa amarela tem algum lance com a ideia de resistir? Rosa nascendo no asfalto: vai, eu consegui...você também vai chegar lá! Até nisso fico pensando. 

Depois, se alguém puder explicar a importância, a etiqueta dessa cor na rosa, por favor...mas já vou logo avisando: tô caidinho pelas rosas roxas...    
+