Zero à direita III

Às vezes, algumas pessoas questionam a literatura, dizendo, entre outras coisas, que se trata de uma arte para maricas. Sério. Até isso eu já ouvi. Geralmente são uns simpatizantes da área de Ciências Exatas. Eu disse simpatizante(s), porque ao criticar a literatura como parte das Ciências Humanas, essas pessoas não sabem, ao certo, nem mesmo o significado da palavra Ciências.   
Para esses práticos, vou direto ao ponto: “literatura não serve pra nada mesmo!” Quando eles demoram para sacar a ironia, engato outras ideias. Para isso, peço-lhe que imagine os diálogos da seção Zero à Direita:
— Aquelas histórias que sua mãe lhe contou quando criança não servem pra nada.
— Aqueles livros que você teve que ler na Educação Infantil? Merrequinha. Nenhuma utilidade?
— As citações de Leonardo da Vinci, ah, você não dever saber..., ele também foi escritor...frases que foram empregadas no seu discurso de formatura não prestam pra nada.
Pausa.
— Eu tenho muitos motivos para continuar a prosa, mas como você não está estendendo nada do que eu falo...paro. Depois também, você e a literatura que diz que é nada são um grande nada. Somos nada. Um dos heterônimos do Fernando Pessoa foi quem disse.
— Quem é Fernando Pessoa?

— Nada. 

Imagem disponível em: http://literatura.uol.com.br/literatura/figuras-linguagem/46/imagens/i370859.jpg
+