Notícias da quebrada

Li e indico para as férias
        Como vão as coisas aqui na quebrada? De boa, graças ao Criador. Na Paz, meu brother.
Ando irradiando alegria... Para escrever a Coluna deste mês, ainda um pouco atrasada, fui dar um rolezinho entre o Salão do Zezim e o açougue que fica no mesmo quarteirão. Histórias e mais histórias. Um dos brothers, atrás do balcão, comentava:
— Ah, véi, fiquei p. da vida. O cara caiu no meu conceito.
— Mas deve ser porque vai rolar uma continuação da história.
— Mesmo assim, o autor contou tudo nos conformes até às últimas páginas, depois veio com uma palhaçada de anjos e coisa e tal...
Agora, leitor(a), você entendeu um pouco da minha satisfação. O açougueiro discutindo o enredo de um determinado livro. Batendo papo sobre livro num açougue. Uma das sementes do “Livros em todo lugar”. Literatura em todos os lugares.
Solidariedade no ar. Esse mesmo brother tá querendo que eu arrume pra ele “A arte da guerra”. Nunca li, embora seja um livro muito conhecido. Se por um caso quiser lhe doar o referido título, o mano vai curtir a ideia. Eu também.
Nos bastidores da Cena, entre um ensaio e outro, a aluna entra na sala do cafofo e dispara:
— Farelo, por favor, me arranja um livro pra ler nessas férias.
— Esse aqui, Marian. Você vai pirar com a história. Leia o primeiro capítulo, enquanto vou ali buscar a Ana Luísa de Brito.
Meia hora depois.
— O que achou do “Vicente em palavras”?
— Top demais.
E assim...vamos espalhando o encanto da leitura por aí....


+