Em busca de poemas


Na manhã de ontem, “invadimos” a biblioteca do Colégio. O que fomos fazer lá? Ler poemas, comentar poesias, escolher versos, transcrever estrofes para o caderno de Literatura.
Poesia pela poesia, arte pela arte. Banquete das palavras em cantos do canto da manhã que iniciava com o inexplicável silêncio, ao virar das páginas. Depois veio o som das perguntas, dos comentários. Os alunos tinham que simplesmente escolher um poema que lhe atraísse, em seguida, transcrevesse-o para o caderno.
— Quem foi Álvares de Azevedo?
— Eu não sabia que Machado de Assis tinha escrito poemas.
— Eu só gosto de poemas para crianças. São os únicos que entendo.
Na próxima semana rolará sarau em duas turmas do Ensino Médio. Por isso mesmo fomos à biblioteca para escolhermos algumas dezenas de poemas. Em função do cansaço do final do semestre, pensei que a rapaziada não fosse curtir a ideia de “invadirmos” a morada dos livros. Felizmente, quebrei a cara.
Depois dessa, tenho que mandar a real: ficou com gostinho de quero mais. Imagine, caro leitor, querida leitora, cinquenta minutos apenas degustando a poesia brasileira com os alunos, colegas e amigos!


Fotografias de Ju Barros 
+