Atrás do divã

Atrás do divã 
Encontrei conforto no semblante do psicanalista. Ele acompanhou o meu relato um pouco assustado. Penso que não era para ser assim, mas para que o leitor tenha uma ideia do que rolou no divã, eis um resumo:

“Escrevo no quadro branco de trás para frente”.

“Só leio revistas na ordem contrária”

“À medida que vou enchendo as páginas do caderno, as mesmas vão sendo arrancadas, amassadas e lançadas ao lixo. Em alguns casos, rola incêndio.”

“Utilizo canetas de várias cores para corrigir uma única prova.”

Pela face do psicanalista, o meu problema é grave.
Enquanto isso, avanço na leitura do romance “Capitães da areia”, de Jorge Amado.


+