808 exemplares queimados

Bahia de todos nós
Alegro-me com a riqueza da Literatura Brasileira. Há uma força extraordinária em nossos versos e narrativas que me enche de felicidade.    
O motivo da minha alegria é poder reler a obra “Capitães da areia”, de Jorge Amado. A mesma que teve 808 exemplares incinerados em novembro de 1937, na cidade de Salvador.
Os livros aprendidos foram julgados como simpatizantes do Comunismo. Tal livro foi considerado propagandista do Credo Vermelho. Por isso mesmo foi queimado em praça pública.
A força do romance encontra-se no seu renascimento, ocorrido na edição de 1944, e na permanência em nossa Literatura. Orgulhosamente, tenho em minhas mãos a120ª edição. Iniciei a releitura nessa manhã. Muitas (re)descobertas surgirão nessa viagem à Bahia do século XX.
Inté, meu rei.

Imagem disponível em: <http://lerantesdemorrer.files.wordpress.com>


+