Uma vida em segredo

Li em 2009 e reli nos dois últimos dias. O pedido veio da rapaziada (um grupo de aproximadamente 16 jovens) que fará o vestibular do CEFET-MG no próximo fim de semana. A releitura foi ainda melhor. Entre Minas barroca e as emaranhadas imagens do Brasil no século XX.

A novela, narrativa mais curta que o romance, traz como protagonista a personagem Biela, que se torna íntima do leitor graças às artimanhas do autor. Para todos, prima Biela. Ela é uma moça com 18 anos, ex-moradora da Fazenda do Fundão, órfã, desajeitada, inicialmente, “um bichinho do mato”.

Biela transita entre dois mundos: natural — com sua simplicidade e leveza advindas do rústico aceitável, comum no ambiente rural da data sem datas presentes no perfil mineiro; cultural —espaço da cidade, para onde ela se muda, após a morte do pai. É nesse novo mundo que ela vai se descobrir e revelar alguns de seus segredos.

Há na tessitura desse enredo um rico trabalho com a linguagem. O jogo realizado com a fala dos personagens, o pensamento carregado de provérbios e impressões do narrador, num ritmo típico da contação de histórias.   

Por outro lado, “os longos silêncios” da personagem Biela misturam-se com as dúvidas do leitor. Não será também a nossa vida um rio de segredos?


Li, reli, compartilho e indico. 
+