TM: amigo oculto literário

Há um mito no mundo da Literatura que me incomoda bastante. É o de que o jovem não lê. Não lê o quê? Ou será que não leem o que gostaríamos que lessem? A discussão é antiga e merece inúmeras colocações. Mas sem preconceitos, o mundo tem que admitir que eles leem sim. Provavelmente,  mais do que a gente pensa. 

Ler os clássicos é fundamental. Agora, ficar sem ler nenhum livro que é o problema. Sou defensor da ideia de que a gente tem que ler de tudo. Talvez, por isso mesmo, na minha adolescência, por falta de opção ou desconhecimento delas, li os romances da série Júlia e Sabrina, vendidos em bancas de jornais a preço de banana. A melhor fase pela voracidade leitora. Saudades.

Hoje, ganhei o dia, um grupo de alunos do 1.º Ano (EM) criou um amigo oculto literário: ideia genial. Combinaram que o valor do livro não poderia ultrapassar 30,00. Esses onze jovens organizaram esse evento sem nenhum apoio, incentivo ou influência direta. Simplesmente tiveram a ideia, foram lá e pronto. Fantástico. Infelizmente, não pude ficar até o final do encontro, mas consegui anotar alguns títulos presenteados. 


  
+