"Blues das Estrelas"

O título da postagem é de um dos poemas da antologia Colecionador de pedras, do multi-artista Sérgio Vaz. Ouvi algumas coisas a respeito dele nos cursos de Pós-graduação, ministrados pela amiga e rainha Ivete Walty — que logo logo vai ficar sabendo do barulho que faço por aqui.

Sérgio Vaz, um dos maiores agitadores culturais do Brasil, é criador da Cooperifa (Cooperativa Cultural da Periferia). Ele e um amigo transformaram um bar em São Paulo para ouvir e falar poesia.     São em média trezentas pessoas por semana. 
Todo produtor cultural tem muito a aprender com esse gênio. Um dos meus sonhos é trocar umas palavrinhas com o cara, na moral. Isso mesmo, pegar o busão aqui ou até quem sabe um avião e descer no bar do Zé Batidão, falar e ouvir alguns versos no microfone aberto que está lá aguardando todos os poetas do Brasil, nego. Ah, se possível, claro, vou tirar uma foto com Sérgio. Ele ainda não me conhece, muito menos vai saber quem sou lá no Facebook, mas vou fazer barulho até o dia que a gente cruzar por aí ou por lá... Para começar, vou postar mais seis textos em homenagem ao nosso Oswald de Andrade da periferia. O assunto da próxima postagem. Aguarde com dois versos dele. 
Sérgio Vaz



As pedras não falam,
mas quebram vidraças
+